11.4.06

Computador = rede (mais críticas ao OLPC)

O velho mantra da Sun Microsystems foi repetido hoje pelo presidente da companhia, Jonathan Schwartz, em breve visita ao Brasil. Ele abriu o Sun Tech Days, evento para desenvolvedores Java (eram mais de 1.800 participantes presentes na manhã de hoje). O que explica o título deste post é a afirmação de Schwartz sobre o projeto do tio Negroponte do laptop de US$ 100. "Que tal focar em acesso gratuito à rede para as crianças em vez de pensar no dispositivo?", questionou Schwartz.

Tem lógica. Una redes Wi-Max (defendidas pela Intel) a dispositivos thin-client e o acesso fica bem rápido e, por que não arriscar, barato. E, como Negroponte já fez, Schwartz saiu da entrevista coletiva para seguir direto para o aeroporto, com destino a Brasília. Lembre que o executivo já escreveu uma carta a Lula sobre a inclusão digital. Deve vir algo bom por aí.
***
Ah, Schwartz acredita que a Era da Informação acabou. Agora é a Era da Participação. Web 2.0 na veia, claro. Blogs, Wikipedia, open source fizeram parte do discurso de abertura do Sun Tech Days. "Desenvolvedores não compram tecnologias. Eles se unem a elas", em uma clara crítica ao mundo do software proprietário.
***
Ainda o Google: A Sun anunciou algum tempo atrás uma parceria com o "deus" Google (onipresente, onipotente, onisciente). Ao terminar a reunião onde acertaram o contrato, Schwartz perguntou a Sergei Brin: "Vamos soltar um press-release?" E a resposta: "Press-release pra quê? Somos o Google. Vai sair no Google". Fica a dúvida: é uma empresa de mídia ou de tecnologia?

Tinha me esquecido: Schwartz gosta tanto do Brasil (a subsidiária brasileira retorna bons resultados) que ele acredita que o "próximo Google" vai sair daqui. Façam suas apostas, senhores!

2 comentários:

Robinson disse...

Tenho ouvido de boas fontes que 80% dos professores não tem preparo para ensinar em suas próprias áreas de conhecimento. Uso de computador, então... Sem contar os diretores que regulam o acesso aos computadores como forma de impor sua autoridade (sei de escolas que ainda mantêm computadores nas caixas, um ano após os terem recebidos). Pode-se ensinar geometria tanto com PC como com recorte de cartolina... O que não se pode é deixar de ensinar. A revolução na educação, se ocorrer, será de atitude e compromisso. A tecnologia é importante, mas acessória!

françoise disse...

será? o próximo google brasileiro? Bom, Deus é brasileiro, não é? riso.