6.5.06

Crises e oportunidades

Diz o velho chavão: é na crise que se encontra a oportunidade. E o Setor de Investigações Gerais da Delegacia Seccional de Santo André encontrou a sua grande chance (de aparecer e de ajudar uma empresa em crise de imagem) em ir atrás de baterias e acessórios falsificados da Motorola, diz o Diário do Grande ABC.

Fizeram bem. Aposto que tem muita gente agindo de má-fé nesses casos de explosão de telefones - curioso que só Motorola explode (ops, um LG "esquentou" demais). Um explode, dois, três e pronto, virou mania nacional dizer que "cuidado, o Motorola explode" (uma amiga já me disse isso). Se um consumidor "se der bem", por que eu também não posso? Será que outras marcas explodem e os consumidores ligam direto para a assessoria de imprensa, sem pensar nos grandes jornais primeiro?

Tem que ter noção. Não dá pra carregar celular em tomada no banheiro, na pia molhada da cozinha, em cima do microondas, perto do fogão. Vai pra um lugar seco, em uma tomada só, sem nada por perto. E comprar acessório e bateria falso ou de procedência duvidosa também não compensa. Sai mais caro, no fim das contas, que o original.

Ah, meu celular hoje é um Nokia 6600, um excelente smartphone. Mas já tive dois Motorola, um LG e um outro Nokia.

2 comentários:

Jorge Wagner disse...

Isso pode soar xenofóbico, mas é puro gosto: carro da Fiat, celular da Motorola e peido só o dono gosta.

Ana disse...

Tenho 2 aparelhos da Motorola e, quando trocar um destes, será por outro Motorola... é o meu quinto, acho!

Mas o que tenho medo mesmo é de carro que explode... tive um Tipo que virou pó! Pior: a imagem da Fiat quase nem sofreu e era um erro deles... fizeram dois recalls, um errado e outro que não tive tempo de fazer... c´est la vie. Pena que não era todo mundo que tinha Tipo, como tem Motorola.